domingo, 26 de dezembro de 2010

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

terça-feira, 26 de outubro de 2010

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

domingo, 17 de outubro de 2010

sábado, 16 de outubro de 2010

sexta-feira, 15 de outubro de 2010




Inevitável foi o toque
a procura
a consumação da loucura
a transformar nós dois
em um.
Nada foi comum
Tudo foi vital
dentro da normalidade contida
no ato.
Inevitável foi o tato
e meus seios foram teus
... tudo... o corpo todo
sentiu-te em gula
nas entranhas
nas loucas manhas
da manhã-festim...

Inevitável
tatear-me em falso
pra sentir-te pleno
em mim...


domingo, 10 de outubro de 2010

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Um vulto na escuridão,

No silêncio da noite
É possível ouvir o choro
De uma alma perdida.
Um anjo aparece
E suavemente deixa
Sair de sua boca
Algumas palavras doces.
E um pequeno sorriso, desajeitado,
Aparece no rosto
De quem a pouco chorava.
As lágrimas param

A dor diminui.
A alma deseja apenas
Que aquele sorriso
Nunca acabe.
Deseja sempre poder
Ouvir a voz suave
Daquele anjo de asas negras.
Mesmo sabendo que
Nada é para sempre,
Ela quer muito acreditar
Que esse momento será.
Quer muito acreditar
Que seu anjo estará
Sempre ali, ao seu lado.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

domingo, 12 de setembro de 2010

Anoitecer


Movendo nas ondas do teu corpo

Mãos que se apegam roubando gemidos

Como luzes que do sol despregam

Indo à lua dar para refletir desejos

Desejos selvagens, sem estórias

Daqueles que o ar segreda ser só nosso

Cheiro teu, que sorvo na saliva, no teu sabor

Nos gestos que desenho em ti enlouquecido

E que escorrem secretos, meus e de mais ninguém

Pelas surpresas da tua feminilidade

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

sábado, 28 de agosto de 2010

Eu sei que me tens amor, Bem o leio no teu olhar, O amor quando é sentido Não se pode disfarçar. Os olhos são indiscretos, Revelam tudo que sentem, Podem mentir os teu lábios, Os olhos, esses, não mentem..." Florbela Espanca
Celeste... É assim, divina, que te chamas. Belo nome tu tens, Dona Celeste... Que outro terias entre humanas damas, Tu que embora na terra do céu vieste? Celeste... E como tu és do céu não amas: Forma imortal que o espírito reveste De luz, não temes sol, não temes chamas, Porque és sol, porque és luar, sendo celeste. Incoercível como a melancolia, Andas em tudo: o sol no poente vasto Pede-te a mágoa do findar do dia. E a lua, em meio à noite constelada, Pede-te o luar indefinido e casto Da tua palidez de hóstia sagrada. Alphonsus de Guimaraens

domingo, 22 de agosto de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

domingo, 16 de maio de 2010

sexta-feira, 23 de abril de 2010

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Quero sentir suas mãos acariciando meu corpo Quero sentir sua respiração acelerada Quero sentir você Quero você descobrindo meus segredos Quero você sorrindo de desejo Quero o calor do seu corpo no meu Quero seu corpo no meu Quero sua boca na minha Quero ser sua

quarta-feira, 31 de março de 2010

Eu sinto você, seu sol brilha Eu sinto você dentro da minha mente Você me leva lá, Você me leva ao reino dos céus Você me leva E me guia através da babilônia Esta é a manhã do nosso amor Este é o alvorecer do nosso amor Eu sinto você, seu coração canta Eu sinto você, a alegria que isso traz Onde o céu espera Aqueles portões dourados, e de volta novamente Você me leva E me guia através do esquecimento Esta é a manhã do nosso amor Este é o alvorecer do nosso amor Eu sinto você, Sua alma preciosa e eu somos inteiros Eu sinto você, Seu sol nascente, meu reino dos céus Eu sinto você, cada movimento que você faz Eu sinto você, cada respirada que você dá Onde os anjos cantam E estendem suas asas, meu amor está nas alturas Você me leva para casa, Para o trono da glória várias vezes Esta é a manhã do nosso amor Este é o alvorecer do nosso amor Esta é a manhã do nosso amor

terça-feira, 30 de março de 2010

domingo, 28 de março de 2010

sábado, 20 de março de 2010